sábado, 21 de fevereiro de 2015

A florista

A florista com o seu olhar e os gestos de constante primavera... 
Esperar tornava agradável a espera. 
Aquele recanto era repleto de puro encanto. 
Ar singelo e todo prosa assim. 
Quem diria que a semente de uma rosa faria brotar todo um jardim?

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Ao luar

Refazia-se
de cacos
pedaços
remoídos
traços
carcomidos
sonhos
destruídos.
Remontava-se
em fragmentos
de tormentos
retorcidos
e
partia.
Quase
sorria
quando
corria
à rua
para
caminhar
sob a luz
da Lua.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Carnaval

Pegou confete e serpentina
Cobriu-se de purpurina
E saiu para a rua, linda, a cantar.
Esqueceu-se do dia a dia
Vestiu-se de alegria
E lá vai a moça, fulgurante, a sambar...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

O sapo...

Acho que no lago
ao lado da casa do lado
tem um sapo apaixonado...

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Sozinhas...

Palavras 
solitárias.
Perambulam
sem etc e tal,
sem encontrar
o ponto final.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Sem ti...

Senti:
Tanto faz...
Sem ti
Nada faz
Sentido...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Simplesmente...

Sem 
qualquer plano
eu plano
em voo pleno.
E assim, insano,
não temo engano,
nada planejo.
Apenas ouso.
Pouco é o que desejo.
Algo simples, ameno:
Depois de um livre voar,
e algum planar,
um pouso
sereno.