terça-feira, 30 de setembro de 2014

Um mundo...

Sei que não posso mudar o mundo.
Este é um sonho que não é só meu.
Mas sinto que posso mudar um mundo...
o teu.

domingo, 28 de setembro de 2014

encanto

em seu canto
e no entanto
faz encanto

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O pássaro

Com 
o
martelo
bateu
bateu
bateu
na madeira.
Que zoeira
isso causou!
O pássaro
acordou
bateu
bateu
bateu
asas
e
voou...

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Em mim...

Se 
tanto
vago

voo
aqui
ou

e
quero
tudo
e
tanto
o
que
me
traz
encanto
mesmo
é
que
ando
a
esmo
e
sou
apenas
um

um
dividido
perdido
sem
rumo
sem
prumo
sem
lei
mas
sei
que
no
fim
me
encontro
em
mim.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Não há...

Deixaram
palavras
pendentes
sorrisos
ausentes
e um certo
querer.
Ao partir
não há o sorrir
não há o que dizer...

domingo, 14 de setembro de 2014


te 
digo:

sei
que 
sigo

sala de estar

o
vento
bate
a
janela
range
range

porta
range
range
range
a
cortina
sacode
sacode.
como
pode?
está
fria
a
peça
e
vazia.
não

mais
pra
ficar.
o
vento
insiste.
o
silêncio
tomou
conta
do
lugar.
percebo
triste
o
que
restou
da
antiga
sala
de
estar...

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Certezas?

Nunca teve certezas sobre tempo e espaços. Sobre lógicas e razões. Sobre motivos e desculpas. Sobre argumentos e teorias. Sobre o que chamava a sua atenção ou mesmo o que não lhe causava interesse algum. Sempre soube apenas onde não queria estar.

Aconchego

como um passarinho
que em seu ninho
busca proteção
encontro carinho
no cantinho
do teu coração 

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

unidos

pensamentos 
dispersos
são sentimentos
em agonia.

em versos
são forma:
poesia.

Será?

"O meu coração já trancou a porta",
Certa vez, disse ela.
Mas o que, na verdade, isso importa?
O amor sabe pular a janela...

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

dizer

o dizer é
tão impreciso
que às vezes
não digo

sábado, 6 de setembro de 2014

Nós

Eu na minha
Tu na tua
Os dois no mundo da Lua 

Voe...

voe.
deixe
o sentimento
a favor do vento
e voe.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Quem dera...

Quem sabe, deveras, fossem apenas quimeras os meus quereres. Não mais que quereres. Os meus parcos sonhares fossem meros-lugares de um sonhador qualquer. Este eu, um-qualquer. Quem sabe, os meus saberes fossem apenas dizeres de um poeta, das letras um misturador. Dos versos, um misturador. Quem dera, rimar quimeras com quereres e deveras - e sentir-me um misturador. E compor versos de amor... Quem dera...

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Setembro

Outra vez
Começa um mês
Em novidade que não é

Mas não custa nada
Dar à mente uma renovada
E reforçar de novo a fé...

Venha setembro.