sábado, 30 de abril de 2011

Uma melodia


Não é nada, não
É só uma canção
Ao som de um violão.

É um som maneiro
Em que por inteiro
Me entrego em emoção.

É só uma melodia
Num pouco de poesia
Um som.
Que traz a liberdade
Num gosto de saudade
Que é bom.

Seu sorriso


Lembrei embevecido
O encanto do seu sorriso
E fiquei assim,
Rindo de mim.

Parei um pouco
E vi como é louco
Gostar assim
De você gostar de mim.

Mas antes que pudesse pensar
Pude rápido despertar
E ver que eu preciso
Guardar o seu sorriso.

Porque por um instante
Percebi o quanto é importante
Ter para sempre, enfim,
Você sorrindo para mim.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Beleza pura


Andar pelo sereno
Sereno e silencioso
Faz sentir-me pequeno
E ao mesmo tempo majestoso.

Na noite, a Natureza
Que singela beleza...

A moça de tranças


A linda moça de tranças
Não tira as esperanças
De quem por ela fique apaixonado.

Disfarça com um olhar brejeiro
Depois, num andar faceiro,
Deixa todo mundo de lado...

Sem a menor demora
Dá um leve sorriso e vai embora...

Que pena...

Miragem


Eu te vejo nas esquinas
Em que não estás
E nas ruas em que poderás passar.

Vislumbro teu caminhar
E a tua presença entre a gente
Mesmo quando estás ausente.

Eu te vejo me olhando
Nos lugares por onde passo
E quase sinto o calor do teu abraço.

Escuto a tua voz
A todo momento.
Sei que ela vem trazida pelo vento.

Sem pensar em mais nada
Escuto tua risada
E tu nem estás por perto...

Já não sei o que vejo
Se o que sinto ou desejo
É errado ou certo.

Só sei que meus olhos te buscam
Em toda paisagem
E teus gestos resultam
De uma grande miragem.




quarta-feira, 27 de abril de 2011

Quando ela olha pra mim


Nada de mais
Apenas um olhar.
De tirar a paz
Capaz de derrubar.

Derrubar todas as barreiras
Ultrapassar todas as fronteiras
De um ser já combalido, pelas nuanças do amor.

De fazer tremer as bases
E pular, de vez, as fases
Entre o sorriso e a dor.

Um olhar límpido, sincero
Por vezes meigo, outras austero
Que domina o âmago do atingido.

E vai fundo, perscruta a alma
Agita e logo acalma
Que tanto cura como torna ferido.

Um olhar fulminante
Poderoso, de enlouquecer.
Lancinante
E impossível de esquecer.


É assim...
... quando ela olha pra mim.

Olhar apaixonado



Lágrimas no olhar distante
Brilho em um olhar de lado
Olhar voltado a determinado instante
Semicerrado olhar apaixonado...

... amor.

terça-feira, 26 de abril de 2011

A linda moça irritada



Ela não disse nada.
Apenas seguiu, a moça indignada
Com quem estivesse ao seu caminho.
Saiu xingando baixinho.

Porque rebentou a tira da sandália
Molhou um pouco sua saia...
Ela ficou realmente irritada.
"Calma, moça, não foi nada!"

Afinal, mesmo assim e ainda
Ela continuava tão linda...

domingo, 24 de abril de 2011

Um dia...









Era tão tarde
Quando eu estava ali
Olhando o infinito.
Meus olhos miravam
Onde todos estavam
Num jeito esquisito.

Estava tão calmo
Lembrava de um salmo
Que um dia eu li.
Sentia o gosto amargo
De algum passado
Que nunca vivi.

Chorava tão quieto
De um jeito discreto
E não percebia
Que a vida passava
O mundo mudava
Só eu que não via.


sábado, 23 de abril de 2011

Formas femininas


As formas femininas

Demonstram singeleza

E aparentam candura.

Mas a maioria também é de fortaleza
Unida a atos de bravura.

Claro que há quem tenha crueza
E que apresente ainda a alma dura.

É da natureza humana...

Mas a mulher, com toda a certeza
É encanto de forma pura
Pois guarda com sua beleza
A força maior da ternura.