sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

É preciso

É preciso abrigo
Porto seguro
Pousada
Ombro amigo
Luz ao escuro
Quase nada
É preciso presença
Simples olhar
Acolhedor
Faz diferença
Encontrar
Amor

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

A moça

De repente, do nada, uma tristeza
Talvez sentimento antigo, algum segredo
O sorriso leve passa a um olhar de incerteza
A coragem aparente se transforma em ar de medo
E a moça se aquieta, silencia, causa espanto
Ao ver-se contida aquela que há pouco era expansão
É que ela quer com brevidade correr para o seu canto
E refazer-se, pouco a pouco, abraçada com a amiga solidão.

Linda mulher

Vejo você, linda mulher bonita
Lutando forte pelo que acredita
Dando à vida outro brilho, outra cor

Ah, vem aqui, linda mulher tão bela
Luz do sol, encanto, flor na minha janela
Torna a minha vida um sonho de amor

Sei que não sou dono de maior virtude
Pode ser que todo este louco mundo mude
E eu não consiga sorrir, para acompanhar

Mas com você, linda mulher-abrigo
Sorrindo, cantando, a caminhar comigo
Não haverá jeito, nada que nos impeça de andar

Quero estar com você, linda mulher-coragem
Mesmo que um dia sejamos lembrança ou uma miragem
Como alguém em um deserto encontra um oásis e a salvação

Mesmo que um dia sejamos apenas um passado, guardado na memória
Não deixemos tanto amor assim guardado, façamos juntos a nossa história

Vem, fica comigo, me dê a mão, minha linda mulher-paixão

domingo, 18 de dezembro de 2016

Sigamos!

Barcos à deriva
Na imensidão do mar
Rumamos ao futuro.
Sabemos que a brisa
Há de nos movimentar
E conduzir a porto seguro.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Voa

Não há mais por que chorar.
Tem calma, tudo um dia passa.
Sente que a paz vem e te abraça.
Sê pássaro: voa e deixa voar.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

A carta

Aquela carta que não escrevi
Diria tudo o que, então, sentia
Falaria de toda a minha paixão.
Mas o tempo passou, nem percebi
Enquanto isso, a vida toda acontecia
E o escrever ficou apenas na intenção.
Até que num dia novamente a vi.
Não é que tudo aquilo ressurgia?
Não é que outra vez agitou o meu coração?
Talvez não viesse na carta que não recebi
A resposta que em seus olhos agora eu via:
"Nos perdemos, amor, com a tua indecisão..."