segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O silêncio...



A palavra é meu abrigo.
O que escrevo é leve ou denso.
O silêncio é o que não digo
Mas contém tudo o que eu penso...

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Sem rumo...



Terras distantes
Andarilhos errantes
Destinos sem prumo.

Na busca da verdade
Sem sonhos, nem saudade.
Sem rumo...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Multiplico-me...



Parado, sou um
Ao mover-me sou dois
Quem fica e quem segue...
Só o ar me persegue...

Em seguida sou três
Sou quem aprende, plana, voa
A voz que rende, reclama, ecoa...

Vou pela força do vento
Pela vibração, o pensamento
Na verdade, sou muito, muito mais que três...

Sou quem se abastece com o mundo
E num piscar, num segundo
Mais completo, sou um outra vez...

Decifrar...



Sei que você acredita
Em tudo o que admira
Embora você admita
Que às vezes é tudo mentira...