quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Não há...

Deixaram
palavras
pendentes
sorrisos
ausentes
e um certo
querer.
Ao partir
não há o sorrir
não há o que dizer...

Nenhum comentário: