quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Ela aparece...

Às vezes encosto a porta
Mas tendo o vento por escolta
A saudade invade e tudo entristece.
Por que, afinal, se faz distante
Se quando me julgo fora do seu alcance
Assim, do nada, ela aparece?

Nenhum comentário: