quarta-feira, 2 de março de 2016

Ao longe...

Ao longe o estampido da bala
Ao longe o ruído abafado da fala
Ao longe o choro crescente da criança.
Ao longe o grito que não é ouvido
Ao longe o silêncio após um gemido
Ao longe a ausência crescente da esperança.
É simples chamar de acaso o fruto do descaso.
O egoísmo aconselha a ignorar a dor alheia.
O que era ao longe multidão, virou deserto.
Agora o longe vem para cada vez mais perto.

Nenhum comentário: