domingo, 19 de fevereiro de 2017

Na varanda

De vez em quando
O passado aparece
Para dar um bom-dia.
Surge relembrando
O que nunca fenece
E já traz a nostalgia.
O tempo distante
Em um breve instante
Volta, então, a reinar.
Ficamos envolvidos
Em momentos antigos
Que nos fazem sonhar.
A infância dita o que fazer
A memória remota comanda.
Ah, que vontade de correr
E fazer a cama na varanda...

Nenhum comentário: