sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Tarde...

Tarde

Nunca é tanto assim
Sempre há tempo, enfim...

Às vezes pode ser cedo
Basta vencer o medo
De enfrentar o que há em nós...

Ultrapassar as barreiras que a nossa vontade cria.


Desatar os nós da lembrança
Tornar liso o fio da esperança
De que a hora chega pra tudo

A gente em tempo se prepara
Porque nada, então, se repara

Tarde.

Nenhum comentário: