sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Por aí...

Essa saudade que vem
Essa incerteza tão certa
Que chegam assim
Sem aviso, sem nada
Tornam turva minha estrada
Tomam conta de mim...

Esse forte sentir
Sem chegar ou partir
Um doer tão sentido
Que traz inquietude
Ao sonhar que algo mude
Num querer sem ter querido...

Esse insano amargor
Em um ar de pavor
Como andar no vazio
Uma certa ansiedade
Talvez mentira ou verdade
Como estar por um fio.

Essa procura discreta
Numa angústia secreta
Para ter sem querer achar
Um tanto de choro abafado
Num riso triste, dominado
Assim vou, tentando me encontrar...

Talvez eu me encontre um dia
Retome, então, a alegria
E volte a sorrir, se puder.
Por enquanto, pelas ruas circulo
Entre vozes e olhares, no escuro
Sou nas noites, por aí, um qualquer...


Nenhum comentário: