sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Está escrito

Não me fales do tempo
Quando comento do vento
Pois me lembro do Verissimo.
De escrever este tinha o dom.
Não me fales de pedra
Se menciono do caminho.
Outro que estava certíssimo
Era um poeta, o Drummond.
Não exijas que eu jure.
Que seja infinito enquanto dure.
Grande frase, entre outras mais
De outro gênio, o Vinicius de Moraes.
E se me dizes sobre coisa mais linda
Um pensamento me vem logo assim.
Viajo, então, mais ainda
E me recordo do Jobim.
Para cada expressão um autor
Que é algo mesmo esquisito:
Quando conversamos, da vida, do mundo, do amor
Parece sempre que alguém já havia escrito...

Nenhum comentário: