segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Este eu...


Estou sempre neste eu que me acompanha. Neste eu que sabe os meus ensejos e desvenda os meus desejos - até os secretos. Este eu que descobre os meus sonhos mais discretos. Este eu que conhece mesmo mais de mim do que sei eu. Este eu que lembra toda hora o que de mim se perdeu e ri de mim. Como pode este eu agir assim? Como pode este eu tantas vezes me deixar de lado e me fazer sentir abandonado? E acreditem: este eu é capaz de desvendar o meu destino... E quando me julga a ponto de cometer algum desatino me indaga e me cobra, como quem nunca um dia se perdeu, sobre quem é este, esta parte que me sobra, quem é este que afinal sou eu...

Nenhum comentário: