terça-feira, 6 de outubro de 2015

Leve-me...

Leve, assim ela é.
Leve e fácil de querer.
Plena, sutil, flutua
Pluma, brisa, se insinua.
Eu eu tento alcançá-la...
Estico os braços
Quase encosto os dedos.
Corro, mas me embaraço
Envolto em seus segredos.
Chego quase a tocá-la...
E ela vai
A favor do vento.
E ela vai
Linda, dona do tempo.
Chego a sentir o seu respirar...
Leve, assim ela é, e só.
Já que alcançá-la não consigo.
Espero que ela tenha dó
E venha para ficar comigo...

Nenhum comentário: