sexta-feira, 10 de março de 2017

A realidade

Às vezes a maior tolice
Está no que não se disse
Na agonia da palavra oprimida
Sem força, sem tônus, sem vida
No grito abafado e dolorido
No choro fraco, quase sumido
Nas noites sem fim, imensidão
Das lembranças e da solidão
Ah, que falta faz a coragem
Que surge como miragem
E em breve se vai embora
Corre, voa, pelo mundo afora
O ímpeto que parecia tamanho
Desfaz-se, fluido, como um sonho
Fica, então, no ar a saudade
E na boca o gosto da realidade.

Nenhum comentário: