segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Delírio



À noite, ao longe, na rua
Tive a impressão de ver a imagem tua
A entrar naquele bar, nosso descaminho.
Corri, mas vi que não era
Foi mais um delírio, uma quimera...
E segui a andar sozinho.

Nenhum comentário: