quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Por ora...


O que ora me abala
Ora me agita
É a palavra que cala
E silencia aflita...

O silêncio que dói
Na voz que murmura
Num aquietar que destrói
Não aceita, atura...

2 comentários:

Bemvindo Sequeira disse...

Muito boa poesia. Seca, limpa, melódica, harmoniosa. Abs

Rachel Krishna disse...

Muito boa, amigo!!

Parabéns!!