domingo, 15 de junho de 2014

A ansiedade da moça

Cheia de esperança
Corre a moça à janela
E olha à rua com frenesi...

O pensamento alcança
A vontade dela
E com a face rubra fica a sorrir...

Sente ansiedade, quase dor
Por vezes até desatina.


Será que vem o seu amor?
Será que está além da esquina?

Nenhum comentário: