quarta-feira, 25 de maio de 2011

Voar...


Alto, ponto no céu
No vento, ao léu
O pássaro admira

Os andantes ao chão
Que vêm e vão
Em busca do que se refira

À liberdade
Voar, mesmo que não de verdade
E apenas por um instante.

Voltar, depois, à terra
Na rapidez que a vista cerra
No mais intenso rasante...

Um comentário:

Manoel Magalhães disse...

Oi Rogério. Lindo poema. Poemar é utilizar a batéia com sensibilidade. Isso fazes muito bem. Grande abraço!